Visitantes da tia Val

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Eu e meus concursos publicos - Um hobby tao estranho assim?



Gostar de estudar sempre foi uma das minhas características mais marcantes. Desde pequena era apaixonada por leitura, e no ensino médio, o que parecia ser um sacrifício sem fim para a maioria dos meus colegas de classe, para mim era algo estranhamente prazeroso. Nem queria ser CDF, não me importava com boas notas, tudo isso era consequência da minha curiosidade, vontade de saber mais das coisas. Claro que, como toda adolescente que se preze, tive meu momento de rebeldia - Eh, podem acreditar, eu não fui 100% sensata como hoje em toda a minha vida, aliás... quem disse que sou 100% sensata hoje em dia? Mas enfim... fiquei dois anos sem estudar (esse foi meu ato rebelde tá? Nada de sexo, drogas e rock'n roll, minha mãe me mataria, hehe) e depois tive que correr atrás do prejuízo.

O mundo dos concursos públicos entrou na minha vida com 17 anos. Estava terminando o ensino médio, e uma amiga de minha mãe me incentivou a fazer a prova dos Correios - o que me fez lembrar rapidamente de um trecho de Pessimismo X Realismo (veja aqui) , publicado por um blogueiro de quem sou fã - Christian V. Louis do Escritos Lisérgicos, que dizia assim:

"Lembro do último telefonema que me disse que a mãe estava forçando-a a fazer um concurso, se não me engano, dos Correios que tinha poucas vagas e que com o dinheiro da inscrição você faria o mercado para mais de um mês".

Bem, foi mais ou menos assim que aconteceu. Não que a inscrição estivesse cara a esse ponto, mas tinha poucas vagas... três, para ser mais precisa. Comecei a estudar então, para a tal prova. Totalmente sem técnica, sem um cronograma de estudos, sem qualquer foco, coisa típica de primeiro concurso mesmo. Não sabia por onde começar, misturava as matérias todas e acabava dormindo em cima das apostilas. Quando saiu o resultado do concurso: 13º lugar. Fiquei super desapontada, chorei, pedi desculpas a minha mãe por ter gastado dinheiro comigo, mó drama. Mal sabia eu que 13º lugar não era tããão ruim... prova disso é que acabaram me chamando quase dois anos depois, e trabalhei um tempinho na Empresa Pública.


Mas o interessante dessa experiência é que eu bem gostei desse lance de prestar concurso! Algum tempo depois saiu um concurso para o Tribunal de Justiça aqui do Rio e eu fui com toda confiança, me preparei melhor, tirava mais tempo pra estudar, peguei provas anteriores... minha colocação??? Milésima alguma coisa. Frustração. Parei de pensar em concursos. Fui viver a minha vida. Por alguns meses, claro. A partir dali, não podia ouvir falar em prova que ficava doida, metia a cara. O desafio de me superar sempre falava mais alto, e acho que um certo espírito competitivo sempre contribuiu bastante pra isso.

Passaram-se pouco mais de dez anos desde meu primeiro concurso. Nesse período, já perdi a conta das provas que fiz, algumas mais fáceis, outras nem tanto, e outras quase impossíveis. Passei em algumas, como no caso dos Correios e em outros, fui trocando de emprego, buscando um melhor que o outro e ainda não sosseguei. Se me perguntar onde quero chegar, a resposta não é simples, pois além de estabilidade financeira, quero ser feliz, trabalhar com algo que me traga prazer. Por isso escolhi a carreira jurídica. Se serei Promotora, Juíza ou uma grande advogada de sucesso... só Deus pode saber.

Mas seja o que for, outra questão que me traz certo desconforto e dúvida é: O que vou fazer quando chegar lá? Será que vou realmente sossegar? Ou será que ser concurseira é um hobby totalmente estranho, que nunca vou deixar de exercer? Enquanto escrevia esse texto, dei uma pausa e fui olhar o facebook. Deparei-me com o status de meu pastor, uma pessoa muito importante na minha vida, que expressava exatamente o que eu queria dizer:



"Estuda meu filho, pra ser alguém na vida!." Já dizia minha mãezinha.
Hoje sou alguém e só vivo estudando. O que vem depois mãe!!??


Confesso que parei no meio da leitura de uma lei específica para escrever este post. É que fiquei lembrando de toda a minha trajetória até aqui. Quantas noites sem dormir, quantos passeios negados ao meu filho, quantas aulas perdidas na faculdade, a dificuldade para recuperá-las depois e os consequentes "caôs furados" nos professores para abonarem minhas faltas. Eu sinto que tudo isso vai valer a pena, e mais... sinto que estou perto de uma grande vitória, não da última, mas de uma das grandes.

Só para encerrar, tenho visto pessoas se basearem somente na fé para conseguirem certas conquistas, e eu mesma, nesse ramo de concursos confesso que já fiz isso: "Ir com a cara e a coragem", ou "ir na fé". Nestes casos, a frase mais comum que ouço é: "Se Deus quiser, eu vou passar". E não passa. Será que Deus não quer? Na verdade Ele quer, mas como disse um professor meu há alguns dias, é muita gente pra Deus ajudar e Ele ajuda todo mundo, nesse caso, passa quem estiver melhor preparado. Que tal ajudar Deus a te ajudar? E como disse também meu pastor, Deus seria muito injusto se tirasse a vaga de alguém que estudou e se preparou, para dar a alguém que sequer olhou para um livro antes da prova. Acho que não custa pedir uma forcinha aos céus... para que eu tenha saúde, para que eu tenha sabedoria, calma na hora da prova para lembrar do que estudei, essas coisas que estão fora do nosso alcance e que aí sim, Deus faz por nós. Mas a minha parte eu tenho que fazer.

E por falar nisso, deixa eu terminar de fazer a minha parte!!!


Até a próxima, pessoal. Fiquem na paz. 



17 comentários:

  1. Val, lindos você e seus pensamentos.
    Obrigado por deixar-me fazer parte de sua vida e carreira de vitórias. Estamos juntos.
    Graça e sucessos multiplicados.
    Seu Pastor e amigo.
    Alexandre.

    ResponderExcluir
  2. Que honra, pastor, o senhor por aqui!
    E como sempre, trazendo palavras de incentivo e motivação, obrigada por tudo.
    Seja muito bem vindo e volte sempre.

    ResponderExcluir
  3. Val, amei seu texto. Eu também quero muito entrar nessa carreira jurídica . Quero ser defensora pública ... sei que tenho que estudar bastante. Quero fazer vários concursos nessa área também, por isso irei prestar vestibular para direito esse ano! hehehe tomaara que eu passe :/ Beijão // spiderwebs.tk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo, Sabrina, seremos colegas de profissão! A Defensoria pública é uma das carreiras que acho mais nobre dentro do Direito, bela escolha. E se precisar de alguma ajuda que estiver ao meu alcance, não hesite em me gritar, estarei por aqui, viu?
      Bjus, linda, e obrigada pela visita!

      Excluir
  4. Oi Valquiria
    Vc escreve muito bem, não desista do seu sonho, como vc disse, não adianta só colocar na mão de Deus, a gente tem que se preparar! Eu passei num concurso público bem novinha com dezoito anos prá escrevente técnico no Tribunal de Justiça aqui no Estado de São Paulo, este ano completo 20 anos, mas na época que os concursos públicos não eram tão valorizados, eu já estudei muito. Eu venho de uma família bem humilde e sabia que esse era o caminho mais rápido prá "ser alguém na vida". Estudava quatro horas por dia, eu "comia" a apostila. Prá ser Juíza então amiga, vixe, vc pode esquecer até de blog (kkkkkkkkk). Não sei se vc viu a movimentação no meu face, mas o meu filho de onze anos toca flauta transversal e passou prá estudar na Escola Municipal de Música de São Paulo, uma das melhores escolas de músicas do país, detalhe que ele passou em primeiro lugar, competindo com 174 pessoas de até 30 anos! Eu estou delirando de alegria! Mas ele vinha se preparando desde outubro (a prova foi agora em fevereiro), ele treinava pelo menos uma hora por dia. A gente nem sabia quantas vagas tinham, eles não divulgam. O meu lema prá concurso é, e eu falei prá ele: "Quantas vagas vc precisa? Uma né? Então não precisa se perguntar quantas vagas tem, estuda, vai lá e pega a tua vaga, foi o que ele fez. Tá certo que quando eu fiz o concurso eu passei em quinto, mas tá valendo. Eu tô rindo à tôa. Bjão. Luciana Souza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, querida. Bom te ver por aqui sempre!!! Sua história me serve bastante de exemplo e a do seu filhote também, eu vi seu face sim. E vc... está toda boba, ne? Mãe coruja é assim mesmo, eu tambem me acabo só de meu filho fazer um gol (ele treina futsal) rsrsrsrss. Imagina quando ele for contratado por um time grande, hahahaa.
      Parabéns ao seu garoto, Deus continue abençoando a vida dele e de toda sua família.

      Grande beijo.

      Excluir
    2. Obrigada Val. Quando a gente passa num concurso público é ótimo, quando um filho passa é mais que ótimo. Eu e meu marido estamos vibrando até agora! E o Dani tbém é claro! Ele estudou muito prá isso. Quero só esclarecer uma coisa, quando falei de "esquecer do blog" eu tava brincando, sinceramente, tanto que eu coloquei um "kkkkkk" na frente, eu sou muito brincalhona. Quem sou eu prá dizer o que vc deve ou não deve fazer? Mesmo pque eu gosto muito do seu blog! Bjão. Fique com Deus. Lú Souza.

      Excluir
  5. Olá Val (olha a intimidade. rs), primeiramente, eu me sinto é honrado de ter citado meu texto aqui em seu blogue. Não importa se um blogue tem dois meses ou cinco anos, a importância é o conteúdo dele e o seu tem de sobra.
    Admiro sua persistência e gostei da frase do seu pastor. A realidade é que eu penso que estudos é algo que nunca termina, você se forma, vem a pós, o mestrado, as especializações. O que, veja bem, é uma opinião pessoal, eu não concordo é pessoa deixar de aproveitar as coisas boas da vida para viver em prol apenas disto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Chris (pronto, me deu intimidade também, rsrs), obrigada por me ceder parte de seu texto e por confiar no meu humilde espaço.
      Sim, meu pastor, além de líder espiritual é um grande amigo, com um bom senso incrível.
      Acredito que realmente estudo é pra vida toda, o livro nunca deve transitar em julgado ainda que o primeiro objetivo tenha sido alcançado, só acho que quando eu chegar lá, vou poder usufruir dos benefícios que isso me trouxer com a cabeça mais leve, sem preocupações. Vou conseguir curtir uma praia sem neura de estar perdendo um tempo valioso na frente de um livro. Vai ser hora de relaxar.

      Agradeço muito pelo incentivo de continuar o blog, ainda que com moderação.

      Excluir
  6. E esta mensagem inclui tudo aquilo que você me disse em off (sim a moderação de comentários não é útil apenas para controlar trolls), faça o que tem que fazer, use o blogue com moderação, não acredito que precise abrir mão se está lhe fazendo tão bem e nunca perca o entusiasmo de escrever.

    ResponderExcluir
  7. Persistência é a palavra da vez! Já passei por isso e sei que não é fácil Hoje com dois concursos, trabalho pra caramba e sei que é só o começo! rsrsrs

    bjks JoicySorciere => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
  8. A ideia é realmente essa! Queremos uma vida melhor! Queremos progredir e, para isso, temos que correr atrás dos nossos objetivos e não apenas cruzar os braços esperando que tudo caia do céu. Como bem disse Deus é bom, mas é bom para todo mundo! Como diz o ditado: "Deus ajuda a quem cedo madruga!"

    Abraços, Flávio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahan... muito certo, Flavio. Sei que tudo isso vai valer a pena. Obrigada pelo comentário, viu? Muito bom te ver por aqui sempre.
      Abraços e prepare o café que logo chego lá no TC pra te ver =)

      Excluir
  9. Olá Valquiria. Tudo tem seu tempo (tem uma passagem em Eclesiastes que fala sobre isso, não?).


    Se possível visite meu blog e se gostar, cadastre-se como leitora. Retribuirei para trocarmos comentários.
    http://reflexoesdo719r.blogspot.com


    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo tem seu tempo, falou tudo.
      Prepara o café que vou visitar seu espaço sim, pode aguardar.
      Obrigada pela visita.

      Excluir
  10. Saudades de ti mocinha linda, a correria tem me impedido de passar por aqui com uma frequência maior, mas prometo que volto para ler com mais calma e contar minha história com os concursos... Beijão!!!

    ResponderExcluir
  11. Vim cumprir o que eu tinha lhe prometido! rsrsr
    Minha história com os concursos começou em 2007 com a publicação do edital do concurso da FHEMIG (Federação Hospitalar do Estado de Minas Gerais), eu nunca tinha cogitado tentar algo do tipo, até que uma colega da faculdade praticamente me obrigou a fazer a inscrição, na época eu trabalhava como auxiliar de acabamento em uma gráfica e ganhava 1 salário mínimo trabalhando em horário integral... Depois de muita me pressionar, ela conseguiu me convencer a fazer a prova, compramos a apostila e nos reunimos duas vezes para estudar (não tínhamos tempo de nos dedicar mais). Antes da data da prova da FHEMIG saiu o edital do concurso do Banco do Brasil, mas uma vez ela tentou me convencer, mas desta vez eu tinha certeza, aquele era um ramo com o qual eu não tinha nenhuma afinidade e eu já sabia que não conseguiria passar na prova (e não tinha o dinheiro da inscrição). O prazo para a inscrição passou e eu não fiz, esta amiga chegou a me chamar de idiota por isso. Alguns dias depois, para a minha surpresa saiu a notícia de que as inscrições tinham sido prorrogadas, no último dia de inscrição eu decidi, peguei o dinheiro adiantado com meu patrão e fiz a inscrição e comprei a apostila. A animação não durou muito tempo, todos inclusive minha mãe, faziam questão de afirmar que eu estava jogando dinheiro foro e que eu não conseguiria passar, isso me fez desistir de estudar... Cheguei à conclusão de que os concursos não eram para mim, fiz a prova da FHEMIG e logo em seguida a do BB... para a minha surpresa fiquei em 6° lugar na primeira (eram 10 vagas) e em 31° na segunda. O Banco me convocou primeiro, tomei posse em 23/06/2008 e lá estou até hoje... Tive algumas oportunidades excelentes de ser promovido, mas acabei abrindo mão por questões familiares, de alguma forma isso me desmotivou um pouco, mas ainda assim quando lembro desta história que acabei de te contar, eu vejo a mão de Deus e tento me convencer de que cada coisa tem seu propósito...

    ResponderExcluir

Que bom que você leu o post até o final, sinal de que não era tão chato assim, neh? Seu comentário é muito importante para mim, não saia sem deixar um Oi, para eu saber quem veio me visitar. Sempre que posso, retribuo as visitas. Bjokas da Val!

Ocorreu um erro neste gadget

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...