Visitantes da tia Val

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Três filmes que marcaram minha vida


Olá, timores! Tudo certinho por aí?

Hoje vamos conhecer um dos cômodos da Casa da tia Val: A sala de TV, ou seja, vamos falar sobre filmes, ok?


Estou participando de um projeto recém-estreado em um dos grupos Facebookianos dos quais participo. É bem o estilo das blogagens coletivas que vocês conhecem, e o tema é:


 Eu acho que todo mundo tem aqueles filmes preferidos, que nunca se cansam de assistir, neh?

Mas no post de hoje vou trazer três filmes que eu não só gostei de assistir, mas que tiveram algum significado para mim, ou que me tragam alguma lembrança boa ou engraçada.

O primeiro filme de que vou falar é O Exorcista, aquele primeiro, lembram? O que dá mais medo do que todos os outros? Então, esse mesmo. E lá vai minha história com esse filme.


Houve uma época da minha adolescência em que meus irmãos e eu alugávamos e assistíamos esse filme TODOS OS FINAIS DE SEMANA, sim todos! Já estávamos até enjoados. Daí, um dia, eu estava sozinha em casa, estudando como uma boa menina na varanda de casa, onde tinha um móvel estofado, tipo um banco, cama, sofá, sei lá... Não era igual a esse, mas neste estilo, estão vendo? Com esses pesinhos separadinhos? Então...


E estava lá, tia Val adolescente estudiosa, concentrada, quando de repente...... o móvel começa a pular igualzinho à cama da menina do filme.

Geeeente!!!! Pensem num desespero! Pensaram? agora imaginem uma guria com o coração na boca! Imaginaram? Agora peguem isso e multipliquem por 1.000. Pois eh, já podem parar de rir agora!


Eu ainda demorei um golinho para cair a ficha de que meu irmão estava deitado no chão empurrando o banco para cima com as mãos e os pés fazendo eu quase cair. Mas passado o susto inicial, até hoje é uma das minhas histórias preferidas e está diretamente relacionada a este filme.

Segundo filme que marcou minha vida: Uma prova de amor


E essa história tem mais a ver com a carreira que escolhi: O Direito. Algum professor – que não lembro qual – comentou sobre esse filme em uma aula de direito civil, falando sobre o direito de personalidade e talz... Daí fiquei curiosa e fui assistir. Depois disso sempre que tenho a oportunidade assisto novamente.

A história do filme me lembra muito o amor que sinto pelo direito (apesar de não ter optado por advogar e sim pelo serviço público), vendo uma menina de 11 anos lutando na justiça por sua emancipação médica, já que seus pais a estavam obrigando a ser doadora de medula para a irmã com leucemia.

Mas o que eu mais gosto neste filme é o conflito vivido por aquela menina, que a gente passa o filme todo pensando: Nossa, que menina egoísta, vai deixar a irmã morrer! Mas que no final tudo se esclarece. E isso me faz lembrar que na vida real também é assim: O operador do direito não é apenas uma máquina de cumprir leis. É nosso dever, seja como advogado, juiz ou serventuário, humanizar o direito, aplicar a lei fria ao caso concreto da forma que melhor lhe couber.

Tá, bora ao terceiro filme: Como se fosse a primeira vez. 


Geeeente... O que é esse filme? Que amor lindo é esse que ele mostra? Sempre que assisto ou falo deste filme, tento enfatizar esse tipo de amor que nos faz querer conquistar o parceiro todos os dias, que não deixa a rotina acabar com o prazer de estar ao lado da pessoa que amamos.

É isso, timores... Vou ficando por aqui com o post. Se quiserem ver as outras participações, vou deixar os links aqui embaixo conforme forem postando, ok?

Bjokas da tia Val e até a próxima =*



2 comentários:

  1. Gosto muito dos dois últimos filmes! Como se fosse a primeira vez eu assisto sempre como se realmente não tivesse visto! Me encanta sempre. Mas Exorcista...eu nunca consegui assistir. Tenho pavor! Pense no pavor e multiplica por 1.000... rsrsrs Beijo!

    ResponderExcluir
  2. Dos três, só não assisti o segundo... o terceiro é fofo demais né. E O Exorcista... uff, já vi mais de uma vez e hoje não tenho mais coragem kkkk.

    Beijo !

    | O Blog Que Não é Blog |

    | Cadastre-se no Egrana |

    ResponderExcluir

Que bom que você leu o post até o final, sinal de que não era tão chato assim, neh? Seu comentário é muito importante para mim, não saia sem deixar um Oi, para eu saber quem veio me visitar. Sempre que posso, retribuo as visitas. Bjokas da Val!

Ocorreu um erro neste gadget

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...