Visitantes da tia Val

sábado, 18 de fevereiro de 2012

Deus fala comigo por varios meios, cabe a mim identificar sua voz e obedecer


Como é difícil enfrentar nossas fraquezas de frente!!! Bem mais fácil e seguro é evitá-las, fingir que elas não estão ali.

Eu sempre soube que não poderia fugir eternamente, que um dia estaria face a face com meu passado, mas confesso que enquanto pude adiar esse dia, adiei. Preferi esperar que o momento chegasse naturalmente, que ele mesmo me encontrasse, ao invés de procurá-lo. Para que buscar o próprio sofrimento? E se eu não estivesse preparada? Não seria melhor garantir-se?

Pois é, foi isso que aconteceu. Eu evitei, me escondi, fingi que não estava vendo, me fiz de morta. Durante esse período de fuga até tive combates virtuais, mas me manter firme e dizer "não" pela tela de um computador é bem mais fácil do que cara-a-cara, com o olhar dele me examinando, sua mão tentando segurar a minha, tentando manter contato.

Hoje foi o dia, o teti-a-teti. Ainda não consegui definir bem a sensação, talvez por isso a necessidade de blogar. Seria alívio? Decepção? Saudade? Quem sabe amor? Hora de colocar as lembranças e os sentimentos em ordem, só assim eu mesma consigo me entender.

A primeira coisa que senti foi vergonha, ou medo que alguém me visse conversando e pensasse que tive uma recaída. Tive a impressão que todos me olhavam e que eu mesma olhava para os lados procurando algum conhecido de quem eu pudesse disfarçar. Na verdade, nem sei se eu olhava mesmo ou se era só impressão. Talvez eu estivesse olhando inconscientemente ou então quisesse muito olhar.

Confesso que senti um pouco de saudade. Não da pessoa, do seu corpo, do beijo, nada disso. Talvez eu tenha sentido saudade dessa sensação de ser desejada, de ver o que eu vi nos olhos dele. Eu sei que ele sente a minha falta, e que se tivesse oportunidade tentaria me reconquistar. Eu conheço aquele homem, e conheço aquele olhar.

Mas eu sei que depende de mim repreender esse sentimento, tão humano, tão carnal. Eu sei que sozinha não consigo, que dependo da ajuda de Deus para vencer minha carnalidade, mas sei também que Deus só faz a parte dEle, a iniciativa de mudar é minha.

O sentimento de decepção foi bem passageiro, seguido de alívio, ou talvez tenha sido o inverso, não sei. Acontece que eu esperava desse reencontro uma luta muito mais intensa, sentimentos muito mais aflorados. Pensava que ele investiria tão pesado que ficaria quase impossível dizer não, que essa resposta me doeria ao extremo e, por isso mesmo, o gosto da vitória seria mais acentuado. A decepção / alívio foi perceber como foi fácil dizer não, e como isso me foi pacífico.

Depois de entender todos os acontecimentos, reviver as emoções e sentimentos, o que sinto agora é paz. Isso porque ontem à noite me derramei aos pés do Senhor, pedindo perdão pelas minhas fraquezas e sentindo seu amor. Entendo que aquele foi o meu momento de preparação para o confronto de hoje que eu nem mesmo esperava.

A todo momento Deus me faz saber que, se eu entregar o controle nas suas mãos, Ele assume o controle de tudo. E são nas coisas simples do dia-a-dia que eu vejo a mão de Deus e o seu amor por mim. É assim que Ele faz, por isso muitas vezes não percebemos seu agir, por estarmos esperando coisas sobrenaturais.

Hoje eu vi a Tua mão, Senhor. Muito obrigada!!!


Um comentário:

  1. Muito bom seu texto, que deus te abençoe bjs com sabor de orações...

    ResponderExcluir

Que bom que você leu o post até o final, sinal de que não era tão chato assim, neh? Seu comentário é muito importante para mim, não saia sem deixar um Oi, para eu saber quem veio me visitar. Sempre que posso, retribuo as visitas. Bjokas da Val!

Ocorreu um erro neste gadget

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...