Visitantes da tia Val

quarta-feira, 28 de março de 2012

Diálogo de sentimentos e fantasmas




- Feia!
- Burra!
- Esquisita!

Carol ainda parecia ouvir nitidamente as vozes distintas da crueldade humana, que se manifestavam através de doces e inocentes crianças. Ainda estava ali, sentada sozinha no canto do pátio esperando os fantasmas irem embora. Seus pés descalços ainda tocavam o chão gelado enquanto os braços curtos e delicados tentavam desesperadamente proteger-lhe as pernas para que não saíssem correndo em vida própria. Sabia que estava sozinha, mas preferia a companhia dos fantasmas à solidão que a acompanhava diariamente.

- Bom dia, senhora tristeza, que novidade traz hoje na sua belíssima bolsa em formato de lágrima? Sabia que quando não estás por perto, sinto tua falta?

E assim, durante horas a pequena Carol conversava com seus sentimentos, suas únicas companhias no decorrer do dia.

 Até que recebeu uma visita inesperada.

- Bom dia, menina de fita cor-de-rosa nos cabelos! Sabia que há um mundo lá fora esperando para ser explorado?
- Ora, não conheço a senhora, mas fique a vontade para fazer-me companhia aqui em meu mundinho imaginário!
- Minha pequena, não nasci para ficar presa ao chão frio de um pátio vazio, minha missão é tirá-la daqui e levá-la a um lugar ainda não conhecido. Você quer?
- Claro que sim, seria ótimo.

Carol segurou na mão da senhora bonita e bondosa e saiu daquele pátio escuro. Entraram em um grande salão iluminado e bem decorado com lindos arranjos de flores. Ali haviam muitas pessoas sorridentes e todas elas pareciam ser gratas a Carol. Todos sorriam para ela, aplaudiam e diziam em coro:

- Linda!
- Inteligente!
- Justa!

Carol olhava a cena radiante. Aos trinta anos, realizava seu grande sonho: Recebia das mãos do reitor seu diploma de bacharel em Direito. Era uma mulher bem sucedida, que encontrava-se apta a lutar contra as injustiças do mundo e todo tipo de maldade.

Olhou para trás e sorriu. Ninguém, além dela, via a linda senhora que lhe segurava a mão. Ninguém, além das duas, via a menina sentada abraçando as pernas. E mais, ninguém sequer ouvia a íntima conversa de Carol com seus sentimentos.

- Não disse, menina? Eu sabia que você conseguiria. Esse é o seu lugar.

E segurando as mãos da senhora entre as suas, Carol agradeceu com brilho nos olhos:

- Obrigada, dona Esperança, por nunca me deixar desistir e sucumbir aos fantasmas da derrota.



Participação do Projeto Bloínquês na categoria Edição Visual




11 comentários:

  1. Uau! Elementos psicanalíticos gritantes na forma com que descreveu a situação da menina Carol, Formidável!!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Val
    Maravilhoso! Dessa vez vc se superou! A esperança é a última que morre (kkkkkk). Mas eu tenho um lema, e até coloquei no último post, que nós temos que sonhar, não apenas sonhar, mas ir atrás do sonho, fazê-lo virar realidade, eu me identifiquei com essa menina.
    Bjão. e uma ótima semana.
    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá Valquíria!

    Muito bom seu texto e a verdade nele explicitada em forma quase de fábula! Se tivermos esperança vamos longe mesmo!

    Parabens!

    ResponderExcluir
  4. 1. Eu vim de longe, de tão longe, que somente o teu coração pode alcançar essa distância e este sorriso que o amanhã me pedir para te dar.
    Compreendo a tua surpresa diante do que eu te digo. Porém, qual surpresa poderá ser melhor do que o vale encantado que eu trouxe para ti?
    Sim, bem sei que a tuas saudades são maiores do que o encontro de todas as tuas melhores circunstâncias. Mas a saudade tem isso de sempre ser maior do que temos no presente. Porque toda saudade é incompleta por si mesma.
    Porém... Do que te vale mais recordar do que viver? Mais desejar completar a tua saudade do que preencher os teus dias com novas oportunidades?
    Tu me dizes que não as têm? Abraço-te com meu carinho e solidarizo-me contigo...
    Eu também vim de longe para me encantar com suas lindas e sábias palavras que alcançaram meu coração.
    Obrigada grande poeta. Adorei vir aqui e me deslumbrei com as maravilhas de suas inspiração.Tomei a liberdade em postar este comentário em teu blog... Retribuindo desta forma, de uma maneira carinhosa a sua expressiva visita no meu blog, as quais as têm enriquecido com seus mais refinados comentários... Um bom final de semana!
    Um grande abraço! E um carinhoso beijo.... HTTP://www.uanderesuascronicas.blogspot.com


    convido-a a fzer parte do meu blog

    ResponderExcluir
  5. Ola Valquíria,
    Boa noite!
    Excelente post! Todos devemos ter sonhos para um dia, mesmo que após muita luta, torna-los realidade.

    Abraços, Flávio.
    --> Blog Telinha Critica <--

    ResponderExcluir
  6. Oi Valquíria: obrigada pelo comentário sobre o Pedrinho! E Amém! Ele é lindo mesmo, né...é uma benção de Deus! Que Deus a abençoe também, em todas as áreas de sua vida! Um grande beijo, com carinho...Adelisa.
    p.s.: estou respondendo por aqui, pois não sei se vc receberá a resposta se postar no meu blog...

    ResponderExcluir
  7. Linda história!
    A esperança é o que move as pessoas!

    ResponderExcluir
  8. Obrigada a todos pelo carinho e consideração comigo e meu blog.
    Vocês já moram em meu coração, meu amigos!

    ResponderExcluir
  9. Muito lindo. Gostei da imagem que você fez da tristeza, e achei genial a história completa, sem tirar nem por. Eu acho que merece um primeiro lugar no BLQ, vamos ver haha
    Sem palavras para esse texto, sério mesmo *0*
    beeijos

    recantodalara.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Val, seu texto foi muito legal, sinceramente não consegui pensar em nada legal quando vi essa imagem no bloínquês e você conseguiu criar uma história bem bacana, parabéns.

    As crianças são mesmo maldosas... e a esperança às vezes é boa (às vezes acho que ela deveria ter ficado presa na caixa de Pandora).

    ResponderExcluir
  11. Val, eu achei que sua história merecia a primeira colocação no Bloinquês, conto muito bem escrito.
    Relatou o bullying, desmascarou o que muitos acreditam não haver maldade nas crianças, onde é praticamente escancarada, contudo, mostrou que também há formas de superação.
    Meus muito parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir

Que bom que você leu o post até o final, sinal de que não era tão chato assim, neh? Seu comentário é muito importante para mim, não saia sem deixar um Oi, para eu saber quem veio me visitar. Sempre que posso, retribuo as visitas. Bjokas da Val!

Ocorreu um erro neste gadget

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...