Visitantes da tia Val

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Simplesmente Dinah - 4ª parte: Recomeço???




Renato dirigia atentamente a Saveiro pela estrada praticamente deserta. Ainda eram quatro da manhã, mas o rapaz pretendia chegar cedo ao seu destino. A dúvida insistia em sua mente, mas sabia que era tarde para voltar atrás, não tinha o direito de colocar mais vidas em risco, a necessidade era maior que a vontade.
Amava seu filho mais que tudo na vida, e sabia que ninguém jamais entenderia sua atitude, mas tudo que fazia era por ele. Sua própria vida não lhe era tão valorosa e pouco importava que os homens de Fernando o encontrassem e matassem, desde que não o fizessem ao pequeno Ryan. Preferia morrer a sentir novamente a dor da perda, como naquela noite há dois anos atrás, quando encontrou parte do corpo de sua esposa na sala de estar. Agora, poderia estar longe de seu filho, mas era melhor do que colocar em risco a vida da única pessoa que ainda lhe restava.
Estacionou o carro em um posto na beira da estrada, onde parecia ter um restaurante anexo. Ali, muitos caminhoneiros paravam a fim de descansar ou simplesmente tomar um café para repor as energias e continuarem a viagem. Foi atendido de forma gentil por uma moça com aparência cansada, que provavelmente estivera ali durante toda a madrugada. Pediu um café preto e aceitou a sugestão de comer um pão de queijo recém saído do forno. Teve que aguardar alguns minutos até que a moça retornasse, e nesse meio tempo, aproveitou para olhar pela milésima vez a caixa de entrada de seu celular. Sempre tivera o hábito de apagar suas mensagens, mas por algum motivo muito mais forte que ele, não conseguiu apagar a resposta que havia chegado há três dias. A resposta pela qual esperou duas semanas.
- Também adoraria te ver.
Tudo bem, não era a resposta apaixonada e arrebatadora que esperava. Era simplesmente um “também adoraria te ver”, mas Renato sabia que aquelas simples palavras poderiam mudar para sempre a sua vida.
O restante da viagem durou pouco mais de uma hora. A pequena mudança havia chegado no dia anterior e o apartamento estava levemente desorganizado. Olhou-se no espelho do banheiro e analisou sua aparência, estava cansado de uma longa noite dirigindo, mas algumas poucas horas de sono poderiam resolver aquele problema.
Acordou às nove horas com o sol batendo forte em seu rosto, e tomou um banho demorado, depois de fazer a barba. Olhou novamente para o celular, queria apagar a mensagem, mas ao invés disso, clicou em responder.

*    *    *

Dinah escutou o celular alertando a chegada de nova mensagem, mas o sono não lhe permitiu pegá-lo. Fechou novamente os olhos e tentou voltar ao sonho interrompido. Eram quase dez e meia quando saiu da cama e caminhou até a cozinha, onde seu irmão tomava uma de suas vitaminas esquisitas cheia de fibras e elementos saudáveis.
- Isso são horas, maninha?
- Ah, hoje é domingo. Eu mereço dormir até tarde.
- Você costumava ir à igreja no domingo de manhã, se lembra?
- Vou à noite, tive uma semana muito atribulada. O que está tomando?
- Um suco.
- Nem vou perguntar o que tem nesse suco. Me joga uma dessas aí.
A maçã voou pela cozinha, parando nas mãos da garota, que jogou um beijo ao irmão e voltou ao quarto mordendo a fruta.
O celular estava no criado-mudo. Após trocar de roupa, abriu a mensagem que chegara mais cedo, sentindo o coração acelerado ao perceber quem era o remetente.

- Acabei de chegar à cidade. Que tal almoçar comigo? – Renato.

Almoçar? Ainda nem tinha tomado café da manhã, como estaria preparada para um almoço ainda naquele dia? Impossível, pensou Dinah abrindo seu guarda-roupa, desanimada. Ainda com o celular na mão, discou rapidamente o número de Anny, pedindo socorro à amiga, a grande responsável por toda aquela situação.
- Responsável, eu? – perguntou Anny após uma alta risada, aquela bem típica de sua personalidade.
- Não fosse por seus conselhos...
- Não fossem meus sábios conselhos, você ainda estaria chorando pelo Lucas, sem nem pensar em tocar a vida e aproveitar a bela oportunidade que apareceu.
- Por isso eu disse... Você é a grande responsável por isso. Então faça o favor de me ajudar. Preciso estar linda.
- E vai estar, gata. Chego aí em meia hora.
Dinah desligou o telefone e ligou para Renato. Um sorriso do qual já sentia falta apareceu em seus lábios. Tudo certo para o recomeço de sua vida.


17 comentários:

  1. Vallll, tudo bem queridona?
    Essa história tem bons ingredientes que envolvem, passagem de tempo, surpresas, algum suspense na medida certa para se querer uma continuação.

    Beijos e te cuida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom te ver por aqui, lindona!
      Fico feliz que a história esteja agradando, e pra mim o mais importante é receber o carinho de leitores especiais como vc. Obrigada pela visita e volte sempre.
      Bjinhusss

      Excluir
  2. Oi Val
    Caramba, vc escreve muito bem, deixa um suspense, e um sabor de quero mais, não vejo a hora de ver as cenas do próximo capítulo (kkkkk).
    Bjão. e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, minha querida. Seus elogios me deixam constrangida, hehe...
      Sei que seu carinho é verdadeiro, e fico feliz que esteja acompanhando e gostando do conto.
      Mil beijos!

      Excluir
  3. Muito show esse capítulo! hehehe Espero que as coisas começem a se acertar para a Dinah ! Aguardo a proxima parte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, minha torcida pela Dinah também é grande, rsrsrs. Acho que Deus tem algo muito bom reservado para ela =)
      Fico feliz que a personagem promova esse sentimento em vc, Sabrina. Sua sensibilidade encanta.
      Bjinhusss e obrigada pela visita

      Excluir
  4. Muito bom este episódio. Acho interessante colocar detalhes de momentos corriqueiros, como um café da manhã, pois assim o leitor se sente mais a vontade, como se "estivesse em casa" e entra com mais facilidade na trama. Séries ou contos, extensos ou não, com detalhes de coisas muito históricas podem até nos transmitir cultura, contudo, fracassam um pouco em entretenimento, prefiro ler artigos neste caso. Porém, cada um escreve a sua maneira e não digo que uma seja melhor do que outra, apenas exponho minha preferência. Você escreve simplicidades do cotidiano e eu também faço isto, tanto em contos e principalmente na série Ironia do Destino, visto que em séries, se não tomarmos cuidado, o leitor perde o interesse.
    Deixar expectativas no desfecho para o próximo episódio é uma boa jogada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem, eu posso dizer que tenho aprendido muito nesse pouco tempo de blogue, e mais especificamente na história de Dinah eu tento aproveitar ao máximo as dicas e observações de parceiros mais experientes. E nesse quesito, Chris, você desde o começo me ajudou muito, lembra de um comentário que fez nos primeiros capítulos (no segundo, se não me engano), observando que meu conto não era totalmente imparcial, por ser muito bíblico? Então... isso me ajudou a dar uma visão menos fechada ao conto, tentando agradar a maioria dos meus leitores.

      Fico muito grata, porque pelo pouco tempo que mantemos contato, sei que vc não elogia à toa, pra fazer média. Então fico lisonjeada, pq sei que teu elogio é sincero. Obrigada, parceiro.

      Bjinhus e até a próxima.

      Ps.: Gostei tanto da minha resposta que vou postá-la também lá nos Escritos Lisérgicos, rsrs.

      Excluir
  5. Vallll eu li as outras partes(acho que só havia lido uma delas antes, então reli). Menina do céu... vc deixou um super suspense! Ande logo com a continuação. Quero saber o que acontecerá com o Renato e a Dinah. Ah e o Lucas, tbem! ahahhahahhahah

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico honrada que vc tenha se dado o trabalho de voltar e ler os capítulos anteriores, Joicynha, nem sei o que dizer desse carinho!
      E gostei de saber que está curiosa, rsrsrs. Sabe que eu mesma às vezes fico pensando no que vai acontecer com meus personagens? Já cheguei a aperder o sono preocupada com a pobrezinha da Dinah, hehe. É sério!
      Vamos ver o que vai rolar no próxomo capítulo, eu sinto que tem algo muito bom reservado pra Dinah. Quanto ao Lucasssss, bem... deixa pra lá *_*

      Bjus, querida. Obrigada pela visita, sempre bom te ler por aqui!

      Excluir
  6. Excelente Valquíria!
    Gosto muito da tua proza, ela é leve e nos envolve de tal forma que nos sentimos próximos e até cúmplice dos personagens, já estou curioso pelo novo capítulo!

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você é um querido, Bruninho. Fico tão feliz de ver sua fotinha aqui! Sério! Gosto do seu carinho com meu espaço e da sensibilidade com que vê os personagens de Dinah.
      Brigadão mesmo, querido!

      Bjinhusss

      Excluir
  7. ♥ tem tag lá no blog para você, passa lá e responde , se quiser é claro. Beijão. www.spiderwebs.tk

    ResponderExcluir
  8. Ola Valquíria.

    A riqueza de detalhes fazem com que o leitor possa formar as cenas em sua mente e acho isso bárbaro. O texto é leve e envolvente! Aguardo as cenas do próximo capítulo.


    Abraços Flávio.
    --> Blog Telinha Crítica <--

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super obrigada pelo elogio, Flavinho. Vc é um leitor muito querido, sua opinião é sempre importante pra mim, e gosto de ver que estou agradando, valeu mesmo!

      Até a próxima, querido.

      Excluir
  9. Sempre há tempo pra recomeços e quando são desejados, fazem muito bem!beijos,lindo dia!chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom te ver por aqui, Chica, fique a vontade, viu?
      Grande bju e volte sempre, querida.

      Excluir

Que bom que você leu o post até o final, sinal de que não era tão chato assim, neh? Seu comentário é muito importante para mim, não saia sem deixar um Oi, para eu saber quem veio me visitar. Sempre que posso, retribuo as visitas. Bjokas da Val!

Ocorreu um erro neste gadget

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...